terça-feira, 5 de julho de 2011

Chocolate bom, made in Brasil


Foi assim: concorremos ao prêmio da Prazeres da Mesa na categoria "artesão da gastronomia" em pé de igualdade de qualidade com outros produtores. Foi uma alegria poder ser finalista e ver o trabalho da Balkis despontar junto com pessoas preocupadas em oferecer o melhor ao consumidor final. Nosso empenho comum é construir, juntos, um mercado estável e confiável para a gastronomia no Brasil.

Os vencedores vieram lá da Bahia, da zona do cacau. E vencereram com o chocolate Amma. Já contei aqui que fui dar um curso de culinária na fazenda de cacau do pai da Patrícia, "irmã" baiana. Fiquei deslumbrada com o cacau. Se você nunca viu uma plantação de cacau iria ficar que nem eu. É uma cultura que só cresce à sombra de árvores. E árvores muito grandes. Ao adentrar na mata para conhecer de perto o cacau fui tomada pela mágica daquele ambiente fresco pintado em multitons verdes. O cacau é a perfeita sinergia da terra, da mata e da fruta. Um cacau é maravilhoso: as cores vão mudando conforme a variedade e o ponto de maturação. Aberto, reflete completamente o ambiente em que nasceu e cresceu: a polpa que reveste as sementes é branca e úmida, deliciosa. Os baianos têm o previlégio de ter o suco de cacau, que é feito dessa maravilhosa polpa. E as sementes, aquelas que vão resultar no chocolate, são amargas e escuras como a terra. Vou dizer, é uma loucura.

O processo é lindo e os cacauicultores do sul da Bahia são guerreiros dos bons. O cacau daquela região foi acometido por uma praga chamada vassoura de bruxa que dizimou completamente toda a lavoura e a vida de muitas pessoas...foi uma tristeza. Mas, veja você, a Amma levou o prêmio de artesã da gastronomia! Avalie o esforço, durante todos esses anos, para trabalhar e acreditar que seria possível vencer a praga e voltar a ver os pés de cacau produzindo. E mais, cacau de qualidade.

Por isso, o prêmio para a Amma é na verdade para toda essa gente que acreditou e trabalhou muito para que o cacau do Brasil ressurgisse das cinzas.

Nós perdemos, é verdade. Gostaríamos de ter ganho, é verdade. Mas o cacau brasileiro ganhou. Parabéns para o pessoal da Amma e para os cacauicultores do sul da Bahia.

O negócio é que a Amma mostrou que dá para fazer um bom chocolate, aqui mesmo. Agora temos um chocolate incrível feito aqui mesmo sem adição de gordura vegetal hidrogenada, com textura, maciez e sabor dignos da premiação. E começamos a pensar em mudar a nossa tradição que é exportar a matéria prima (sementes do cacau) para os grandes europeus fazerem chocolates maravilhosos que depois custam muito caro quando voltam para nós.

 

E para comemorar a construção do mercado gastronômico resolvi juntar tudo de bom em uma única preparação: pera recheada com queijo mascarpone Balkis com ganache leve de chocolate amargo Amma feita com creme de leite Balkis. Concorrentes no prêmio e parceiros na criação de delícias.

4 comentários:

Bia Ribeiro disse...

Que história linda Marcia, me emocionei ao ler o seu texto, porque a Amma ganhou um prêmio que reconhece o esforço de muita gente naquela Bahia linda, que venceu e se superou, parabéns a Amma! E a receita da parceria Balkis/Amma: pera, mascarpone e chocolate, está demais! Parabéns a Balkis por nos dar esse Blog e poder compartilhar tantas experiências boas.

Viviane Alves disse...

Muito bom vocês compartilharem com a gente essa história!
bjs
www.viviass.blogspot.com
www.meublogdereceitasfavoritas.blogspot.com

marcia micheli disse...

Que bom que vocês gostaram das boas novas, e da pera também!!! Pelo que sei, a história do cacau lá na Bahia ainda não acabou, não, mas como pudemos ver, tá andando bem, né?
bjs

Luiz Moris disse...

Nooossa Marcia, que delícia!

Provei o chocolate amma esses dias, que coisa! O 85% é...só comendo mesmo.

Sempre lembro do chocolate que a Sharana recebeu do pessoal do Bahia, maravilhoso.

Para quem gosta de chocolate de cacau mesmo como eu, demorou! Uma bela volta por cima.

Minhas reverêcnias ao cacau e votos de sucesso para sua história no Brasil.

Abração